3 anos... Como o tempo passa... Como a saudade fica!

Beto
(Foto: Candy Maia)
23 de maio de 2010... Foi há 3 anos que todos recebemos - como uma bomba - a triste notícia "Morreu cantor Beto. A música portuguesa está de luto."

Peniche sempre se orgulhou dele que nunca negou as suas raízes...

Hoje, para assinalar a data, será celebrada uma missa em sua intenção, às 19 horas, na Igreja da Misericórdia em Peniche.

Escolher uma canção para ajudar a recordá-lo não é fácil, mas ouso escolher esta montagem feita pelo meu amigo Raul Valdez aquando da Homenagem ao cantor, a 14 de agosto de 2010, na Ilha da Berlenga, que espero gostem.


Biografia (Fonte Wikipédia)
Aos 5 anos começou a cantar. Aos 17 anos foi para Torres Vedras e passa por vários grupos de música portuguesa.

Em 1992, fundou os Tanimara, que eram uma das melhores banda de covers da altura. Atuavam no bar Xafarix em Lisboa.

Em 1998 é convidado pelo Maestro José Marinho para representar Portugal no Festival da OTI, na Costa Rica, com o tema "Quem Espera (Desespera)", ficando em 3.º lugar.

A partir daqui vários colegas de profissão reconheceram-lhe o enorme talento e convidaram-no para participar nos seus álbuns, no caso de Rita Guerra e Paulo de Carvalho, em duetos, e ainda em centenas de concertos, no caso de Luís Represas e Paulo Gonzo, por todo o país e em salas de prestígio como os Coliseus e o Centro Cultural de Belém.

Destaca-se "Brincando com o Fogo", com Rita Guerra, que até hoje é um tema muito do agrado do público.

Em 2000 é convidado a gravar um disco a duo com Rita Guerra. O álbum "Desencontros" deu origem a uma tournée com dezenas de espetáculos em todo o país.

Entre 2000 e 2003 grava 8 temas para bandas sonoras de telenovelas.

No dia 14 de Julho de 2003 lança o seu álbum de estreia a solo, "Olhar em frente", com temas como "Memórias Esquecidas" (tema da novela "Coração Malandro"), «Dois Corações Unidos» (da novela «Nunca Digas Adeus») e «Tudo Por Amor» (da novela «Tudo Por Amor»).

O disco vendeu em quatro meses mais de 13.000 cópias e foi certificado Disco de Prata pela Associação Fonográfica Portuguesa.

Passado pouco mais de um ano deste álbum estar à venda entrou para os lugares cimeiros do Top de vendas nacional permanecendo mais de 57 semanas consecutivas no Top e atingindo o disco de Platina (dupla platina segundo as novas regras da AFP) e sendo o disco português mais vendido no ano de 2004 (cerca de 50 mil exemplares).

Faz entretanto algumas participações em álbuns de outros artistas como Gonçalo Pereira e Ménito Ramos.

No dia 2 de Maio de 2005 lança o álbum "Influências". Em apenas 6 meses é Platina com quase 30.000 cópias vendidas. E para marcar o início da sua turné, apresentou-se ao vivo no Coliseu dos Recreios em Lisboa.

Em Outubro de 2005, a convite de Maria João Abreu e José Raposo, estreia-se no teatro: 'A Revista é Linda', espectáculo que o empresário Hélder Freire Costa apresenta no Teatro Maria Vitória. Interpreta "Estrela Da Manhã" e "Podia Ter Sido Amor" em dueto com Paula Sá.

Muda de editora e edita "Porto de Abrigo", um disco com uma sonoridade mais acústica e pura, tentando consolidar os laços já criados com o seu público.

No dia 4 de Maio de 2010 realizou a sua última atuação no Evento Solidariedade - DESMISTIFICA SIMPLIFICA. Este evento foi organizado entre os alunos do Núcleo de Curso de Gestão de Lazer e Turismo de Negócios da Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar de Peniche e a CERPIC PENICHE.

Faleceu na manhã do dia 23 de Maio de 2010, num hotel de Caldas da Rainha, vítima de acidente vascular cerebral. 

Tinha 42 anos de idade.